Profile


Do Itáliano,Bruna deriva-se de uma pessoa parda,escura,sabe muito bem o que quer, e com sua determinação sempre consegue chega lá. Está sempre muito preocupada com a situação financeira, busca segurança neste setor da vida, Mesmo sendo alguém que vive em busca de felicidade. Dona de uma memória perfeita e cheio de hábitos enraizados, gosta de dividir suas experiências com as pessoas, especialmente com quem ama. Pode demorara a aprender as coisas, mas depois que aprende nunca mais esquece, o que torna suas lições muito profundas. Possui um lado vingativo e corre um certo risco de se tronar teimosa ou ciumenta demais.Uma garota sensível,vista como liberal e simpática.Gosta de agir sem holofotes, e nem por isso deixa de ser notada. Preocupa-se em como é vista pelos outros,coopera em quase tudo é prestativa e equilibrada,magoa-se com uma certa facilidade e frequência,espera mais dos outros,assim como dá o melhor de si para ver as pessoas bem.Esperança é um forte de sua vida,também gosta muito de falar,passar algumas horas ao seu lado requer muito folego pra rir,e soltar aquelas gargalhadas. Um sorriso, um abraço apertado, uma música, estar com quem eu gosto, rir até a barriga doer! São coisas simples, mas me faz muito feliz.



Menu




Wish List



Credits

Theme:
MeinParfum
Paginação: AnaFlavia
Opacidade nas imagens: AnaFlavia

amor incorrespondido.

gabrielcezar:

Quem não sofre, não aprende a lutar.
Chico Xavier

gabrielcezar:

Quem não sofre, não aprende a lutar.

Chico Xavier

(Source: blackout-t)



Reblog this!
29,212 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37




Reblog this!
476 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37




Reblog this!
52,376 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37

"Não preciso de ninguém (suspirou) - só de você."


Reblog this!
22,963 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37

"Eu queria te pedir para não partir,
Mas como se pede isso a alguem que sequer chegou?"


Reblog this!
1,735 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37

"Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir os nãos que a vida me enfia pela goela abaixo."
~ Caio Fernando Abreu (via sabedorias)

(Source: depreendido)



Reblog this!
3,631 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37

sabedorias:

Amo poucos.. Mas esses poucos, pode apostar, amo muito.

sabedorias:

Amo poucos.. Mas esses poucos, pode apostar, amo muito.

(Source: invernoperfeito)



Reblog this!
5,570 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37

sabedorias:

Estava vivendo à base de cafeína nos últimos dias. E de tudo que o fosse mantê-lo acordado por um bom tempo. Não suportava mais tentar dormir e não conseguir. Precisava de algo menos fútil para justificar a sua insônia. Qualquer coisa mais útil do que um amor cheio de marcas e feridas. Não dormiria de qualquer jeito mesmo… Tinha comprado seis fardos de coca-cola pra deixar em cima da mesa, quinze pacotes de café. Não comia. Só bebia qualquer coisa que não tirasse sua lucidez. Porque apesar de tudo, ele não queria esquecer. Apesar de tudo ele queria continuar lúcido, se lembrando de tudo, relembrando, e de novo… E mais uma vez. Não tinha ninguém. Recebia o desprezo e o devolvia de forma pior. Quase não chorava, mas sabia o quanto aquilo doía. Se perguntava o tempo todo por quê não podia dar certo, se perguntava por quê tudo não podia voltar a ser como antes. Por quê havia abandonado suas doses de tequila por um copo de coca-cola, uma dose de vodka por um copinho de café. Masoquismo? Ou talvez apenas a vontade passar a noite em claro, olhando para as estrelas de madrugada, da forma em que elas mais lembravam-no de tudo. Da forma em que elas chegavam a inspirá-lo na melhor forma de conquistar, ou reconquistar aquele alguém que havia perdido. E duvidava da perda. Duvidava, na verdade, de que um dia teve. Gostava de sentir o café fervendo queimando seus lábios. E de parar a xícara enquanto o sentia esfriar. Só pra simular o que havia acontecido. Havia esfriado. Só usava camisetas regatas com um samba-canção, em pleno inverno. Queria sentir o frio. Só pra simular mais uma vez, e outra… E de novo. Não parava de pensar em tudo sequer por um segundo, e mesmo estando perturbado, forçava vez ou outra os pensamentos a voltarem. Só pra tentar entender um pouco melhor. Era só um garoto masoquista. Ou homem. Era só alguém querendo sentir a dor. Era só alguém louco gritando para a dor explicar o que estava acontecendo. Mas nem mil noites em claro seriam capazes de lhe fazer entender tudo o que sentia. E nem mil noites em claro tirariam aquele sentimento de dentro dele. João Pedro Bueno, Sabedorias.

sabedorias:

Estava vivendo à base de cafeína nos últimos dias. E de tudo que o fosse mantê-lo acordado por um bom tempo. Não suportava mais tentar dormir e não conseguir. Precisava de algo menos fútil para justificar a sua insônia. Qualquer coisa mais útil do que um amor cheio de marcas e feridas. Não dormiria de qualquer jeito mesmo… Tinha comprado seis fardos de coca-cola pra deixar em cima da mesa, quinze pacotes de café. Não comia. Só bebia qualquer coisa que não tirasse sua lucidez. Porque apesar de tudo, ele não queria esquecer. Apesar de tudo ele queria continuar lúcido, se lembrando de tudo, relembrando, e de novo… E mais uma vez. Não tinha ninguém. Recebia o desprezo e o devolvia de forma pior. Quase não chorava, mas sabia o quanto aquilo doía. Se perguntava o tempo todo por quê não podia dar certo, se perguntava por quê tudo não podia voltar a ser como antes. Por quê havia abandonado suas doses de tequila por um copo de coca-cola, uma dose de vodka por um copinho de café. Masoquismo? Ou talvez apenas a vontade passar a noite em claro, olhando para as estrelas de madrugada, da forma em que elas mais lembravam-no de tudo. Da forma em que elas chegavam a inspirá-lo na melhor forma de conquistar, ou reconquistar aquele alguém que havia perdido. E duvidava da perda. Duvidava, na verdade, de que um dia teve. Gostava de sentir o café fervendo queimando seus lábios. E de parar a xícara enquanto o sentia esfriar. Só pra simular o que havia acontecido. Havia esfriado. Só usava camisetas regatas com um samba-canção, em pleno inverno. Queria sentir o frio. Só pra simular mais uma vez, e outra… E de novo. Não parava de pensar em tudo sequer por um segundo, e mesmo estando perturbado, forçava vez ou outra os pensamentos a voltarem. Só pra tentar entender um pouco melhor. Era só um garoto masoquista. Ou homem. Era só alguém querendo sentir a dor. Era só alguém louco gritando para a dor explicar o que estava acontecendo. Mas nem mil noites em claro seriam capazes de lhe fazer entender tudo o que sentia. E nem mil noites em claro tirariam aquele sentimento de dentro dele. João Pedro Bueno, Sabedorias.



Reblog this!
1,337 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:37




Reblog this!
53,403 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:36

pocketfullofamazing:

naawwh.


Reblog this!
256,510 notes
Permalink
14.04.2012 às 08:31

Página 9 de 56 « 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 »